AGENDA APP em foco Clipping Notícias GEO OPINIÃO Cruzeiros Desporto LAZER Ambiente
Fotos Pescas Blogs Facebook Twitter Slideshare YouTube ARTE Áudio DOSSIERS
  • PORTAL APP | 26 Dossiers disponíveis | COM MAIS DE 1000 NOTÍCIAS
  • PORTAL APP - 5.216 notícias publicadas até 24.10.2012 e integralmente disponíveis
  • APP no TWITTER: http://twitter.com/portosportugal
  • APP no FACEBOOK: http://www.facebook.com/portosdeportugal
  • APP no YOUTUBE: http://www.youtube.com/portosdeportugal
Utilidades APLOP Newsletters MediaMar EDUCARE Biblos Museus História Prémios Associativismo
CONTACTOS SOBRE A APP CIÊNCIA FUTURO Energia Remoção Lista POL. PRIVACIDADE VÍDEOSREGISTAR-SELOGIN

SAGRES

Sensores instalados no mar a 18 km da costa

Uma infraestrutura de observação oceanográfica, dotada de vários tipos de sensores, será instalada no mar, a 18,5 quilómetros a sul do porto da Baleeira, Sagres. O projeto tem características únicas e será desenvolvido pelo Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), da Universidade do Algarve, no âmbito do projeto EMSO-PT - Observatório Europeu Multidisciplinar do Fundo do Mar e Coluna de Água.

Uma das maiores «cascatas» da Terra situa-se no fundo do mar

As Victoria Falls são a maior cascata da Terra e as Angel Falls a mais alta. No entanto, por mais impressionantes que possam parecer, estas duas maravilhas da natureza ficam muito aquém da verdadeira vencedora.

A maior e mais poderosa cascata da Terra é cercada por água e situa-se no oceano. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos, a cascata – Canal de Faroe Ban – situa-se especificamente no Estreito da Dinamarca, que separa a Islândia da Gronelândia.

Segundo o EurekAlert, a água fria viaja do sul até encontrar uma mais quente, no mar de Irminger. A água com temperaturas mais baixas, sendo mais densa, afunda sob a água quente após uma queda no fundo do oceano que cria um fluxo descendente estimado em mais de 3,5 milhões de metros cúbicos por segundo.

Null Island, o minúsculo país atlântico que sem o sabermos já «visitámos»

À fértil imaginação humana devemos mundos, países e cidades ideadas de Shangri-La à Atlântida, do Reino de Preste João à aldeia de Macondo, do escritor Gabriel García Marques. Uma singularidade que inclui um ínfimo território no atlântico tropical, saído da imensa inteligência digital global. A Null Island não lhe falta mapa e bandeira, entre outros atributos:provavelmente o metro quadrado mais "visitado" do mundo.

População desconhece marcas que dão o zero hidrográfico nas cidades portuárias

As marcas de nivelamento usadas para medir altitudes a nível nacional, mas que em cidades e vilas portuárias também indicam o zero hidrográfico, uma referência utilizada para a previsão de altura das marés, são em geral desconhecidas da população.

Governo dos Açores considera prioritário alargar zona marítima de protecção permanente até às 200 milhas

O Governo Regional dos Açores, no âmbito de uma consulta pública da Comissão Europeia sobre restrições à igualdade de acesso às águas, do Regulamento da Política Comum de Pescas, considera “absolutamente prioritário” a existência de uma zona marítima de protecção permanente de 200 milhas no mar da Região.

O objectivo é “proporcionar uma discriminação positiva de acesso” aos recursos haliêuticos por parte da frota artesanal e das comunidades piscatórias açorianas, permitindo, simultaneamente, “preservar a economia local e dar cumprimento aos Tratados e à própria Política Comum de Pescas”, pontua o executivo açoriano.

Navio da Marinha acrescenta mais de 37 mil km2 ao mapa do mar português

O navio hidro-oceanográfico D. Carlos I regressou à Base Naval de Lisboa, no Alfeite, após realizar uma campanha científica de nove semanas, no Arquipélago dos Açores, acrescentando cerca de 37 500 km2 sondados ao Mapeamento do Mar Português, no âmbito do programa SEAMAP 2030 e da cooperação com o Governo Regional dos Açores.

​​A campanha científica consistiu no levantamento hidrográfico, com os sistemas sondadores multifeixe de bordo, de 10 montes submarinos com especial interesse para o estudo dos ecossistemas do mar profundo, num raio de 100 milhas náuticas (mais 185 km) do grupo central do Arquipélago dos Açores.

Investigação científica no oceano reforçada com projecto de 2,5 milhões de euros

O ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, esteve presente na cerimónia de assinatura do contrato do projecto pré-definido do Programa EEA Grants/Crescimento Azul 2014-2021 para novo equipamento de mapeamento do fundo marinho e coluna de água do Navio Mar Portugal, no valor de 2,5 milhões de euros, com o intuito de alavancar a investigação científica do oceano.

O contrato foi assinado no Auditório Magalhães do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em Algés, pela directora-geral de Política do Mar, Helena Vieira, e pelo presidente do IPMA, Miguel Miranda, que apresentou o projecto.

MISTÉRIO DO GPS

Navios «teletransportam-se» entre continentes e movem-se em círculos

Há um estranho fenómeno a acontecer com os navios em redor do mundo. As embarcações andam às voltas, “teletransportam-se” entre continentes e a sua localização de GPS é falsa. Por vezes, estão misteriosamente a milhares de quilómetros de distância.

Na madrugada de 31 de maio, oficiais a bordo do navio petroleiro Willowy foram chamados para saber que o seu navio e quatro outros estavam a navegar misteriosamente em círculos, incapazes de dirigir e a caminho de convergir. Imediatamente, pensou-se que fortes correntes estavam a empurrar os navios. Porém, não havia tais correntes onde os navios navegavam no sul do Oceano Atlântico, a oeste da Cidade do Cabo, na África do Sul.

Navio da Marinha prossegue o mapeamento do mar português nos Açores

O navio hidro-oceanográfico D. Carlos I, empenhado numa campanha científica no Arquipélago dos Açores no âmbito do Mapeamento do Mar Português do programa SEAMAP 2030 em cooperação com o Governo Regional dos Açores, assinalou a 21 de junho o Dia Mundial da Hidrografia.

Navio da Marinha investiga espaços marítimos entre Viana do Castelo e a Figueira da Foz

A lancha hidrográfica Andrómeda esteve em missão até ao dia 8 de junho, a navegar entre Viana do Castelo e Figueira da Foz, no âmbito do projeto de caraterização geral de áreas aquícolas para estabelecimento de culturas marinhas – projeto AQUIMAR.

Este projeto, que decorre de uma parceria entre o Instituto Hidrográfico, o Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE) e o Instituto Politécnico de Leiria, tem como objetivo principal a identificação dos locais com maior aptidão para a prática da aquicultura, tendo por base as áreas já delimitadas no Plano de Ordenamento do Espaço ​Marítimo.

 vídeo

APP lança vídeo “Journey to the center of the world”

 Poesia pelo Porto de Leixões

 

 APP pelo Facebook

 Consulte os dossiers do Portal APP

 NRP Sagres Volta ao Mundo 2010

 Se calha a sorte para a Armada…

 A Ver Navios

 Inauguração do novo Cais de Cruzeiros do Porto de Leixões

 Paquete Infante D. Henrique

 Arte xávega ou companhas das artes – Praia de Mira

 Nautilus Minerals - ROV Drill MINING

 Pesca artesanal valorizada em Sesimbra (1)

 Nova marina no Porto de Lisboa

 Funchal 500 Tall Ships Regatta – La Bamba

 Filatelia - Farol do Cabo Espichel

 Porto de Aveiro visto do céu

 APP no slide.com

 APP no SLIDESHARE

 APP no FACEBOOK

 A ponte é uma passagem para a outra margem

A ponte é uma passagem para a outra margem
Associação dos Portos de Portugal © 2010 - Design & Programação by Idea Factory