AGENDA APP em foco Clipping Notícias GEO OPINIÃO Cruzeiros Desporto LAZER Ambiente
Fotos Pescas Blogs Facebook Twitter Slideshare YouTube ARTE Áudio DOSSIERS
  • PORTAL APP | 26 Dossiers disponíveis | COM MAIS DE 1000 NOTÍCIAS
  • PORTAL APP - 5.216 notícias publicadas até 24.10.2012 e integralmente disponíveis
  • APP no TWITTER: http://twitter.com/portosportugal
  • APP no FACEBOOK: http://www.facebook.com/portosdeportugal
  • APP no YOUTUBE: http://www.youtube.com/portosdeportugal
Utilidades APLOP Newsletters MediaMar EDUCARE Biblos Museus História Prémios Associativismo
CONTACTOS SOBRE A APP CIÊNCIA FUTURO Energia Remoção Lista POL. PRIVACIDADE VÍDEOSREGISTAR-SELOGIN

Uma economia refém dos portos

Uma classe profissional não precisa de ser numerosa para ter o poder de paralisar um país. Basta estar num lugar-chave: como o comando de uma frota de aviões, a torre de controlo do tráfego num aeroporto, a condução de uma linha de comboios, as urgências de um hospital – ou um porto. Quando um piloto, um controlador aéreo, um médico ou um estivador decide parar, já sabe que o seu acto será consequente: haverá empresas e pessoas paralisadas, entregas condicionadas e prazos falhados, negócios ameaçados.

As greves no sector portuário, que se iniciaram em Agosto, e que hoje afectam sobretudo Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz, não estão apenas a paralisar estas cidades. Estão a paralisar uma economia. São como um bloqueio nas veias e artérias de um país, impedindo que a circulação de produtos continue a bombar o já débil coração da economia nacional.

As empresas que dependem destes portos para receber e escoar bens e mercadorias estão, por isso, reféns de um grupo de trabalhadores portuários que, para defesa dos seus próprios interesses, está a ferir os interesses do próprio país. Interesses que, entenda-se, envolvem as exportações nacionais e a sustentabilidade de boa parte das empresas portuguesas. Não está aqui em causa a legitimidade das reclamações dos trabalhadores dos portos nacionais – estão no seu direito de protestar, exigir. Em causa está, isso sim, a forma escolhida para contestar.

Mais do que fazer uso de um poder que sabem que têm, estes trabalhadores estão a impor a sua vontade a outros, sabendo o prejuízo que isso irá causar. E isso pode ser encarado como um abuso de poder. O entendimento – que, como se viu, é possível, porque aconteceu em Sines e Leixões é, por isso, urgente e deveria evitar a dramática requisição civil que os empresários começam a exigir.

EDITORIAL DO "DIÁRIO ECONÓMICO", 10.10.2012




Data: 2012-10-10
Autor:

Artigos relacionados:

  • Em Espanha corre tudo mal, excepto a greve nos portos portugueses
  • Passos Coelho insinua recurso à requisição civil contra greve dos portos
  • CGTP diz que greve nos portos deve continuar
  • Hélder Amaral desafia Bruno Dias a medirem forças com um contentor
  • Autoeuropa e Mitsubishi admitem recorrer a portos em Espanha
  • Greve nos portos afecta exportações da Autoeuropa e da pêra rocha
  • Governo rejeita «bomba atómica»
  • Trabalhadores portuários não entendem apelo à requisição civil
  • PSA Sines e Sindicato XXI estabelecem acordo que põe fim à greve às horas extraordinárias
  • AGEPOR critica os que «teimam em continuar em greve»
  • Greves já passaram todos os limites
  • As exportações e a greve dos portos
  • Greve já causou prejuízos de 425 milhões de euros no Porto de Lisboa
  • Greve nos portos torna exportações mais caras
  • Sindicatos garantem que greves não ficarão por aqui
  • Governo deve accionar «instrumentos legais» para garantir funcionamento dos portos
  • Transportadores rodoviários de contentores reafirmam preocupação com situação nos portos
  • Agricultura ainda não sentiu efeitos da paralisação nos portos
  • Greves portuárias causam prejuízos de 425 milhões só em Lisboa
  • Acordo para a revisão do regime do trabalho portuário
  • Câmara de Portimão apela à intervenção do ministro da Economia para o fim da greve no sector portuário
  • Portuários europeus atentos à lei portuguesa
  • Paralisação nos portos está a provocar acumulação de toneladas de mercadorias nos armazéns nacionais
  • Presidente do órgão regulador defende nova legislação laboral do sector portuário
  • Trabalhadores portuários mantêm funções específicas

  •  vídeo

    APP lança vídeo “Journey to the center of the world”

     Poesia pelo Porto de Leixões

     

     APP pelo Facebook

     Consulte os dossiers do Portal APP

     NRP Sagres Volta ao Mundo 2010

     Se calha a sorte para a Armada…

     A Ver Navios

     Inauguração do novo Cais de Cruzeiros do Porto de Leixões

     Paquete Infante D. Henrique

     Arte xávega ou companhas das artes – Praia de Mira

     Nautilus Minerals - ROV Drill MINING

     Pesca artesanal valorizada em Sesimbra (1)

     Nova marina no Porto de Lisboa

     Funchal 500 Tall Ships Regatta – La Bamba

     Filatelia - Farol do Cabo Espichel

     Porto de Aveiro visto do céu

     APP no slide.com

     APP no SLIDESHARE

     APP no FACEBOOK

     Gaivotas na rede - Porto de Peniche

    Gaivotas na rede - Porto de Peniche

    Foto de DMA

    Associação dos Portos de Portugal © 2010 - Design & Programação by Idea Factory